Federação Portuguesa de Motonautica

Duarte Benavente “Sobretudo sinto muito orgulho”

Feliz, naturalmente, mas com uma calma notável, assim estava Duarte Benavente pouquíssimos minutos após sagrar-se campeão do mundo de Fórmula 2. “Isto é o culminar de muito trabalho. Os sonhos são sonhos, mas nós temos os nossos objetivos, e a realidade é que queremos lutar, competir ao mais alto nível, temo-lo feito ao longo de muitos anos e este ano, num campeonato tão difícil, com três corridas em quatro semanas, não se podia cometer nenhum erro, tinha de estar tudo super bem organizado e preparado e acho que deixamos uma imagem muito positiva para todos os que nos apoiam, nos acompanham, os nossos patrocinadores de sempre, os nossos amigos e aqueles que trabalham comigo todos os dias para que eu possa alcançar estes resultados”, disse o piloto, tentando depois expressar o que lhe ia na alma: “Sinto alegria, felicidade, mas, sobretudo, muito orgulho porque conseguimos fazer o resultado que queríamos, com alto nível, muita categoria, em três provas tivemos dois primeiros lugares e um segundo o que demonstra bem o trabalho que fizemos”.

Relativamente ao que se segue, o lisboeta a residir em Azeitão disse que “é defender o título”, explicando: “Competir ao mais alto nível é aquilo que eu quero sempre e o que tento fazer em conjunto com os patrocinadores que nunca me abandonam”.

Enquanto falava para a Imprensa, Edgaras Riabko, o grande rival, abraçou Benavente, atirou-lhe água e gritou em inglês: conseguiste, tu conseguiste!” O português explicou que era normal. “Somos adversários, mas temos boas relações, encaramos o desporto mais ou menos da mesma maneira e é normal. Ele já me venceu dois campeonatos da Europa e eu fui vice-campeão, portanto agora é a minha vez de eu ganhar e ele ser vice-campeão”.

As últimas palavras de Duarte Benavente foram para a Federação: “A Federação teve uma mudança há cerca de três anos que eu considero muito positiva, esta direção teve a coragem de fazer aquilo que nos últimos 25 anos ninguém teve a coragem de fazer e espero que os nossos resultados sirvam para incentivar as pessoas e deixarem-se de sentimentos menos importantes. Motivarem-se, virem correr e ajudarem a Federação, isso sim, é verdadeiramente importante. Dedico este título ao Paulo Ferreira, à Federação Portuguesa de Motonáutica, à minha família, aos meus patrocinadores que estão aqui comigo hoje, porque sem eles e não estava aqui a falar consigo”

Paulo Ferreira

“Hoje é um dia muito especial para a motonáutica portuguesa”

“O título já cá está. Conseguimos, foi muito trabalho, step by step [passo a passo], foi uma luta, aliás, são dois anos aqui a lutar e quero agradecer ao Club Sport Marítimo por todo o apoio, o presidente Carlos Pereira já me mandou uma mensagem a felicitar e ele tem sido um apoio fantástico. Mais uma vez o Duarte [Benavente] provou que é um dos melhores pilotos do mundo”, disse um emocionado Paulo Ferreira no final da prova de Vila Velha de Ródão que consagrou Benavente campeão do mundo de Fórmula 2

“Como me sinto? Estou entusiasmado, eu sou um entusiasta, e trabalhei muito para obter este título e agora é tempo de celebrar, é a primeira vez que temos um campeão do mundo em Portugal”, recordou o presidente da Federação Portuguesa de Motonáutica. “Tinha como objetivo fazer obras na sede da federação e fiz, queria apoiar a formação e está a ser feito, e agora era ter um campeão do mundo, consegui-o. Sinto-me muito feliz. Hoje é um dia muito especial para a motonáutica portuguesa”, concluiu Paulo Ferreira.